quinta-feira, 7 de junho de 2018

Tanta Asa nesse Voo.


Texto e fotografia,mz



Traçando o céu, um voo de bando livre
Airosas, rasgando o vento frio deste Junho,
Tanta asa, tanta asa nesse voo.

Serenas de peito branco, como brancas as espumas,
E na soltura da vaga, tanto mar, tanto frio deste Junho.
Tanta asa, tanta asa nesse voo.



No chão de areia, a macieza, o repouso,
Sobejo de sal como se fosse colo, como se fosse casa.
Desaparece assim, asinha, este frio mês de Junho.

Tanta asa, tanta asa nesse voo.




11 comentários:

Rejane Tazza disse...

Tanta asa nesse voo e tanta beleza junta aqui!!!😘😘

Pedro Coimbra disse...

E foi assim que nasceu o famoso Fernão Capelo Gaivota :))
Bjs, bfds

David Gascoigne disse...

Everyone should learn to appreciate gulls.

Os olhares da Gracinha! disse...

Um belo esvoçar poético!
bj

Larissa Santos disse...

Um poema de excelência :))

Hoje, do Gil António... Amor por entre nuvens de distância .

Bjos
Votos de uma boa noite.

Mar Arável disse...

Tanto voo
nas palavras

Graça Pires disse...

E tanto voo em cada asa… Um belíssimo poema.
Uma boa semana.
Um beijo.

Agostinho disse...

Viva, MZ, Gostei do que vi e li.
há séculos que não acostava
neste cais.
Perdi masto, perdi vela,
perdi leme de navegar.
Nem uma estrela me guiou,
foram gaivotas (como eu)
quem me salvou.
Tanto voo, quanta inquietação!?
Tolhidas de frio, tanta asa
à procura de casa.

Entre mar e terra haverá nação
Que as acolha
livres como igual?

Bj.

Ricardo Santos disse...

Bonitas palavras e bonitas fotos !... Junho é que não anda tão bonito ! :(

Ana Rodrigues disse...

Está lindo :) beijinhos, boa semana

mz disse...

Queridos bloggers, obrigada por 'voarem' aqui comigo neste tom de poesia.


:)
Beijinhos