segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A Sepultar


Os muros altos servem de sombra aos que se apresentam na despedida. Faz-se sala ao ar livre porque Setembro está quente e contam-se histórias de uma vida comprida. Abraçam-se amigos que não se veem há muito, e entre uma lágrima contida, uma outra fugidia,  até um sorriso. Tudo se torna solidariedade mansa. Pode-se arriscar dizer-se que até é bonito morrer aos noventa. Porém, a morte nunca é bonita. Há sim mais compreensão na partida, mais serenidade na perda de uma vida velha. Chora-se depois a saudade nas lembranças do dia-a-dia.



mz



imagem: tela de Amedeo Bocchi - pintor italiano
Bianca con geranio rosso, 1928  aqui