sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Um vazio cheio de tanto.



A dormência das aves é aparente; um estalido, e a confusão de asas é uma explosão de pipoca branca.  É o voo para outro poiso. Depois, o regresso do ilusório silêncio. A água, tem um canto de murmúrio, um fru-fru de véu de céu, e um parecer de que tudo desliza sem esforço. Logo, logo, o sol acenderá toda a vida na lagoa, e este vazio cheio de tanto.


Garça-boieira (bubulcus íbis)