segunda-feira, 10 de abril de 2017

Fé sem preconceitos e boa disposição




Um sapateado suave em sapatos de domingo, fizeram o som de acompanhamento às Hossanas da procissão. Corria uma aragem com aroma de alecrim nos ramos colhidos dos jardins e dos quintais, ou mesmo, das beiras da estrada, umas pontinhas de oliveira. Eu assim o fiz e fui com as tias, com a minha fé plena e assumida, sem vergonha, porque na sociedade de hoje, tudo passa pelo escrutínio do preconceito. De verdade, é mais fácil ser ateu, irreligioso, ou espiritualista. E neste contexto de opções válidas ao ser humano, assinto que me faz bem acreditar numa demanda constante do mistério, que é Deus. Neste aparte, continuo esta crónica contando-vos que, depois da missa, as tias, em todos os domingos possíveis, é quase obrigatório uma paragem no salão de chá, onde se combinam caminhadas, encontros semanais e, onde também se fala dos filhos, dos netos, almoços de domingo e anedotas. Na alegria do convívio deste Domingo de Ramos, as tias não sabiam onde colocar os raminhos benzidos, se no colo, ou no chão. E nesta atabalhoada indecisão, por debaixo da mesa tocavam-me os ramalhetes nas pernas provocando-me cócegas e risos.



Texto e fotografia
Mz

8 comentários:

✿ chica disse...

Que coisa linda te ler e voltar o tempo, recordar essas coisas maravilhosas que se perdem no tempo... bjs, chica

luisa disse...

Este ano falhei a procissão dos Ramos. Fiquei pois sem raminho de oliveira abençoado.

AvoGi disse...

Ohhhhhh, peço Desculpa por nunca meter chamado a atenção o teu blogue. Cheguei agora e estou a adorar tanto que já copiei o linque para colocar na pluma dos b!Lgues que visito diariamente, posso?
Obrigada pela?A visita eu voltarei sempre aqui.
Kis :=}

Ah, essa tradição aqui, no meu rural,não conheço

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma belíssima descrição de uma bela realidade!!!bj

mム尺goん disse...

as evocações ganham um modo tão real....


(que texto bom de se sentir!)



Briseis disse...

Hum... Essa maneira de contar historias sobre coisas sérias num tom de piada fez-me lembrar o meu querido Eça! =) sou católica, gosto das cerimonias e dos rituais, mas as procissões fazem-me pensar em penitências medievais e mulheres emocionadas que se choram e lamentam... Sei que a procissão de Ramos não tem esse caracter, é uma festa em que se recebeu Jesus na sua entrada gloriosa em Jerusalém.... Mas nao consigo descolar daquela associação... =)

Mar Arável disse...

Tudo pelo melhor

Existe Sempre Um Lugar disse...

Votos de Páscoa repleta de alegria! Feliz Páscoa!
AG