segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Naquele Dia...



Não obstante o gosto e fascínio pelo meu trabalho e uma boa dose de paciência recentemente adquirida pelas férias de Agosto, eu teria entrado em colapso com a mesquinhez típica de um certo tipo de clientes armados ao pingarelho chocalhando pulseiras de ouro como rótulo de aviso – Somos Ricos! Naquele dia, passei a manhã mergulhada em medidas, texturas e cores. Revendo e reinventando o design mais apropriado para um específico conjunto de móveis feitos à medida pomposamente solicitado por este par de clientes excessivamente exigentes por caprichos ridículos e pirosos que eu ia disfarçando sem obter resultado.

Tudo isto me pareceu tão pequenino, quando depois de almoço o mundo pasmou indignado com o ataque mais inesperado ao WTC, vendo em  directo as terríveis imagens coladas a um formato cinematográfico sem duplos. Seria bom podermos passar uma esponja amnésica e simplesmente esquecer. Eu estava a lavar os dentes e a pensar na melhor forma de convencer os meus clientes anafados e reluzentes quando a primeira torre foi atingida. A lavar os dentes...

Muitas coisas perdem o sentido quando existem dias que, pela grandeza do horror que causam nos deixam incapazes de entender as razões da maldade humana a uma escala infinita.


(imagem pesquisa: Google)

Com carinho
Mz


22 comentários:

Eva Gonçalves disse...

As razões estão escarrapachadas todos os dias nos noticiários... mas essas recusamos ver... Estavas a lavar os dentes e eu a passar a ferro em frente à tv... vi tudo passado escassos minutos.. e o embate na segunda torre em directo... assim como as pessoas a saltar como abelhas a voar duma colmeia, tudo em directo... Imagens impossíveis de esquecer. Imagina se estivessemos lá... Dizes que não compreendes a maldade humana a esta escala... a maldade, gera maldade... e assim será até perceberem as razões... beijinho

Carolina Tavares disse...

Lembro-me perfeitamente o que estava a fazer. Estava a dar aula para uma turma de adolescentes em um projeto social, meninos e meninas que moram em favela, super difíceis de se lidar, quando minha mãe ligou falando algo do que estava a acontecer. Só me lembro de dizer para ela assim, mãe, agora não posso falar. Aquela turma era sem dúvida um dos grandes desafios pelo qual passei, e nada naquele momento poderia me fazer parar, eu tinha que dar conta.

Há momentos os quais não esqueceremos jamais.

Um beijo do meu mar, e que as nossas águas sejam águas tranquilas, de paz.

✿ chica disse...

Aquele dia , aquelas imagens ficarão pra sempre marcadas na memória. E pensar que naquela hora, outros tantos apenas movidos pelo vil metal...TRISTE! beijos,chica

Diário de um Anjo disse...

eu estava a tomar café

Brown Eyes disse...

São msmo dificeis de entender principalmente quando quem paga são os inocentes. Não me admira que haja razões, há de certeza, conhecendo os E.U. como conhecemos...Mas quem pagou? Os inocentes. Vi algumas reportagens e o que me admira é a indignação deles por terem sido atingidos, como se eles fossem o Deus do Mundo. Isso fez-me lembrar aquelas pessoas que se acham melhor que todos, tipo santas, mas, depois, caem em cheio. Humilde e humanidade faz falta neste mundo actual, evitavam-se muitas desgraças.
Beijinhos

Mz disse...

Eva G.
recusamos-nos a ver muitas coisas, isso é verdade. Ninguém esperava ver um acontecimento destes, o mundo estava habituado a que as guerras fossem anúnciadas, mas o ataque foi um acto de terrorismo numa escala impensável. E assim se iniciou a era do medo.

Bjnhs

Mz disse...

Carolina T.
todos nós, temos dias marcantes nas nossas vidas e este é um dos que não esqueceremos. Ainda que pelo meio, coisas boas que nos aconteceram e que fizemos neste dia estará sempre presente este espectro apócalíptico do medo e da insegurança.

Que as nossas águas sejam tranquilas e de paz.
Bjs

Mz disse...

Chica,
faz parte da humanidade; a ganância, a opolência, a vaidade... Depois deste acontecimento os meus clientes ficaram mais dóceis... gostaram do que lhes apresentei sem mais exigências.
Bjs

Mz disse...

Diário de um Anjo,
e alguns deles o café da manhã, provavelmente!

Mz disse...

Brown Eyes,
o fanatismo e o ódio que se cultiva e se coloca nos píncaros de tudo para atingir os alvos pretendidos não é solução para coisa alguma. Isso deve ser evitado em cada um de nós e tenho a certeza absoluta que naquele momento não foi um país a ser atingido mas sim todos nós.
Bjs

pinguim disse...

Esta é das fotos mais chocantes do que se passou.

Mz disse...

Pinguim,
Completamente meu amigo! Oxigénio... e depois o salto para a morte.

Paulo Sempre disse...

Interessante...

Mz disse...

Paulo Sempre,
tudo é relativo.

Pedrasnuas disse...

Eu encontrava-me mesmo em frente da tv...sentada no sofá quando...fiquei horrorizada....em estado de choque...nem queria acreditar...mas é lamentável que a comunicação social explore todos os acontecimentos para fazer notícia...afinal é o sofrimento dos outros... mas hoje tudo é motivo de show...desde um acidente na estrada... à rapariga que agride outra na escola...ao homem que agarra uma arma e mata centenas de inocentes...e quanto mais repetem o que é mau...mais o mal fica entranhado ...e os maus exemplos grassam ...
O teu texto está um primor como tem sido habitual. É um prazer ler-te MZ.
Bom fim de semana

Mz disse...

Pedrasnuas,
também sou contra a exploração de uma notícia até à exaustão, mas ambas temos a noção de que a informação é imperiosa. A divulgação de notícias violentas pode ser uma faca de dois gumes...pode estimular ou pode alertar e prevenir. Quero muito acreditar que uma notícia de cariz violenta não seja um copy paste.

Obrigada pela tua simpatia e bom fim de semana para ti também.

Helga disse...

Eu passava pelos dias sem os viver. Estava desempregada e provavelmente à beira de uma depressão profunda. No momento em que a primeira torre caiu em directo na televisão, eu cai de joelhos no chão e chorei. Chorei de desespero pelo horror que me entrava pelos olhos e sobretudo pela alma. Chorei por mim, por desprezar aquilo que naquele instante tantos e tantos perdiam sem ter opção de escolha; a vida. É algo que nunca esquecerei.

Bjs

Mz disse...

Helga,
Lamento a tua dor nessa altura da tua vida e acredito que, os acontecimentos desse terrível dia te deu forças para dar a volta pois a "vida" é um dom maior para ser desprediçada e desprezada principalmente por nós próprios.

BEm-vinda de novo HElga, em breve irei visitar-te.
Bjs

Lilá(s) disse...

Sabes que essa foto foi uma das que mais me chocou?!
Bjs

Mz disse...

Lilá(s)
a mim também e a milhares de pessoas, estou certa.
Bjs

Sérgio Pontes disse...

Lembro-me tão bem do dia em que o mundo mudou

Mz disse...

Sergio Pontes,
impossível esquecer!