sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Velhas (e) Amigas...




Já que insistes em trazer-me algo, então traz-me um raminho de salsa fresca para enfeitar o almoço. Meia dúzia de limões para espremer em limonada e flores... um molho de flores, que podem ser do campo. Mistura-as com alecrim para perfumar a mesa que vou pôr lá fora ao sol. Traz-me também alegria e risos e conversa que poremos em dia. Depois, dulcificamos as bocas com Bolo de Cambraia, o mais fofo que eu sei fazer .  Talvez abra aquele Porto velho que nos irá deixar mais tontas e de língua mais solta para falarmos sem medo e sem disfarces do que nos apetecer. No final, eu levo-te a casa e tu voltas a trazer-me à minha e andaremos nisto até termos consciência de que cada uma tem de ficar sozinha na sua própria casa.

Mesmo que não tragas nada e não queiras falar, vem. Comeremos em silêncio a ouvir as conversas dos vizinhos, os pássaros e a nortada a sacudir as laranjeiras. Não te preocupes com o sol que eu tenho uma sombrinha antiga de cor azul com franjinhas brancas que vou espetar no pátio e, se o tempo mudar e as nuvens aparecem, sempre poderemos fingir ter um tecto de Verão. Mas vem... eu espero-te de avental.







Para a Fábrica de letras
Tema: “Fingimento”




Imagem: Tela de Inimá de Paula


Com carinho
Mz

24 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Já vou! Estou aí daqui a 30 minutos, é só o tempo de tirar o avental! (fingiremos estar sob um céu estelado, mesmo estando a noite cerrada de núvens!!) Gostei desta interpretação do tema. Beijo

Mz disse...

Eva Gonçalves,
então vem e de avental também!!!
:)))

pinguim disse...

Que coisa linda e tão fresca...

manuela baptista disse...

não sei se é fingimento

mas é tão simples de belo!


manuela

papoila disse...

Também vou e para não ir de mãos a abanar levo música...
xx

Carolina Tavares disse...

Fiquei confusa, me pareceu tão bom, até me deu vontade de ser a agente recebedora deste convite, mas porque então ¨fingimento¨?

Beijos de cá.

Mz disse...

Pinguim,
estas amigas são frescas meu amigo, muito frescas e principalmente sem fingimentos!

Mz disse...

Manuela Baptista,
aqui a única coisa que se finge é a côr de um céu de verão que as minhas amigas vão querer se o tempo ficar coberto de núvens e para isso terão o tecto do guarda sol :)

Mz disse...

Papoila,
então vamos as duas :)

Mz disse...

Carolina Tavares,
optei nesta crónica contrariar o fingimento. Um encontro entre duas amigas de idade avançada que já não entram em disputas e hipocrisias.Fazem apenas o que lhes apetece, apenas não podem esquecer que mais cedo ou mais tarde têm de enfrentar o vazio e solidão do viver sós.Isso não podem fingir.

Bjnhs daqui

Brown Eyes disse...

Com este convite quem não iria? Beijinhos

Lilá(s) disse...

Então não é que me apeteceu por-me a caminho e ir comer a tal fatia de bolo! Não tenho salsa, mas levo os limões e as flores....

Bjs

Mz disse...

Brown Eyes,
então junta-te a nós, vais gostar!
bjnhs

Mz disse...

Lilá(s)
estamos à tua espera!
Bjnhs

Pedrasnuas disse...

Gosto do teu estilo de escrita e já agora espero ser convidada mas sem fingimento...sou muito verdadeira:) e como já tens todos os ingredientes...se não te falta mais nada,levo boa disposição!!!:)

Tentando regressar...Beijo

Sus disse...

Que bela fatia de bolo, servida em palavras doces...

Gostei!

Beijos

Mz disse...

Pedrasnuas,
tu já és da casa... vem bem disposta, pois então!

(Eu ainda ando um pouco preguiçosa, mas aos poucos retomo as visitas)

Beijo

Mz disse...

Sus,
é para todos!

Beijos

Anónimo disse...

Convido hoje você a conhecer este blog.
O Folhetim Cultural a cada dia crescendo. Agora temos espaço para contos, poesias, crônicas, charges e muitas outras coisas que espero que goste.


Blog: informativofolhetimcultural.blogspot.com
E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
o Blog agora tem até twitter: twitter.com/folhetimcultura ou @folhetimcultura


Espero por ti abraços!

Ass: Magno Oliveira

Rafeiro Perfumado disse...

A conduzirem com os copos?!? Ah, suas inconscientes!

Mz disse...

Magno Oliveira,
estou certa que será interessante.
Obrigada,
abraços

Mz disse...

Rafeiro Perfumado,
a pé meu caro... a pé!

Utópico disse...

Por vezes sabem tão bem ter alguém para fingir connosco. Fingir inocentemente, sem qualquer maldade, sem qualquer falsidade, sem qualquer rancor.

Fingir assim não prejudica ninguém e pode trazer uma feliciade imensa.

Mz disse...

Utópico,
que comentário tão fofinho...
Foi sem dúvida esse lado que eu pretendi valorizar para este tema.