segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Vidas Aceleradas...



Nem sempre somos o que desejamos ser neste ritmo acelerado de vida moderna.
Ao núcleo familiar, impõem-se-nos vidas formatadas que têm de corresponder à sociedade que criámos. Da profissão, às amizades, da moda aos produtos de supermercado, tudo entra na pessoa de cada um. Nada nem ninguém fica de fora. Somos cabeças cheias quase a transbordar de imposições, de obrigações inalteráveis, de responsabilidades, de exigências e competitividade profissional. A este ritmo alucinante impõe-se-nos ainda um “pacote” por vezes improgramável.
São estes ritmos acelerados e com atitudes fortes que não nos permite desacelerar o suficiente quando é necessário.
Urge melhorar o sistema de travagem para não atropelar os que nos são preciosos.


Fotografia: Helder Ribeiro aqui

Com carinho
Mz

12 comentários:

Carolina Tavares disse...

Essa vida que nos atroplela ou melhor que deixamos nos atropelar por ela lembra-me do fime de Indiana Jones quando ele foge daquela pedra enorme e ela quase o engole.

Preciso aprender respirar. Preciso aprender a viver.

Beijos Mz

MZ disse...

Precisamos todos, de uma forma ou de outra...

bjs

Rafeiro Perfumado disse...

Se bem que atropelar quem nos acompanha poderia ser a solução. Estou-me a lembrar do Governo, por exemplo...

Brown Eyes disse...

Eu estou fora desse tipo de vida. Tenho uns aninhos e descobri que não vale a pena correr o que tiver que ser nosso será e a correria SÓ LEVA A PERDER O MAIS IMPORTANTE: A vida. Beijinhos

Johnny disse...

Nunca nos renderemos a elas!

MZ disse...

*Rafeiro P.
esse bem que podia ser atropelado, passado a ferro, sei lá! Contudo, ainda me pergunto-me o que seria de nós hoje com outro tipo de governação?!!


*Brown Eyes,
todos temos uma formatação segundo a vida social que nos rodeia,(incluindo a familiar) todos sem excepção. Uns mais... uns menos...


*Jonnhy,
de certo modo, não... e isto será até na hora de nos escolherem o lar!

pinguim disse...

A palavra "equilíbrio" é neste caso, fundamental.

Pedrasnuas disse...

EU PENSO QUE NÃO É FÁCIL FUGIR...TENTA-SE MAS É COMPLICADO...A TEIA É MUITO GRANDE E NÃO SE COMPADECE DE GENTE "LENTA"...SE PUDERMOS IR ESCAPANDO POR INTERVALOS JÁ É BOM...

BEIJINHOS

MZ disse...

Pinguim;
concordo... mas, a vida é tão exigente para algumas pessoas que até doi!

bj

MZ disse...

Pedrasnuas;
é verdade... os intervalos têm de ser vividos a 100% :)

beijinhos

Lala disse...

o Homem é um animal de hábitos. Habitua-se e pronto. Não muda, não consegue mudar... e difícil lhe será a travagem. como diz o Pinguim, faz-nos falta o equilíbrio... E, MZ, o equilíbrio está ao alcance de todo e qualquer ser... a Natureza dá-nos todo o equilíbrio de que necessitamos... nós é que teimamos em ignorá-la.

Beijinhos!

MZ disse...

A NAtureza dá-nos o equilíbrio e dá-nos os sinais...

Obrigada Lala
Bjs