terça-feira, 2 de novembro de 2010

Tempos...



Não são as tuas folhas caídas que me comovem,
Nem o chão atapetado de natureza morta.
Não me comove sentir harmonia no chão desarrumado pelo vento,
Nem as cores maravilhosas das tuas folhas, ainda que presas por um fio num galho frágil.
Excessivamente afogueado...
És Outono.
És caduco.
És perene e abusivo.
Despes a vida e tornas-te quase inconvenientemente sublime.
Sublime e contraditório.
Trazes na morte a renovação.
Mas hoje, tu não me comoves, porque tu és de acordo com a época.
Assim deve ser a tua natureza.

O que me comove hoje é o teu banco de jardim.
Comove-me o teu banco pintado de verde à espera de gente sem esperança.
Sem cor.
Sem rumo.
Gente quase perdida num Outono de desespero.

Comovem-me os tempos que se auguram difíceis.




Fotografia: Soldadodesconhecido


Com carinho
Mz


15 comentários:

Johnny disse...

Dedicado, com amor presumo, a Portugal.

MZ disse...

Exactamente, Johnny... ao estado calamitoso da nossa Nação.

Lilá(s) disse...

Conseguis-te comover-me...está suberbo parabéns amiga pelo talento!
Bjs

MZ disse...

Lilá(s),
são os nossos tempos físicos e político-sociais e por mais poesia que se encontre na beleza que o Outono nos trás, é impossível alguém ficar indiferente à quantidade de pessoas que vivem com dificuldadas.
Eu é que agradeço o teu comentário.

Bjs

pinguim disse...

A sensibilidade de jogar com o Outono numa rima com um alcance muito mais profundo.
Brilhante.

MZ disse...

É uma rima desencontrada numa época com um estar social muito difícil que não nos pode passar ao lado.

Obrigada

Diário de Lisboa disse...

Muito, muito bonito,MZ.Tomei a Liberdade de levar estas palavras para fazerem companhia a uma fotografia.Espero que não se importe.
Obrigado.
Bjs

Johnny disse...

Agora diz-me que não se percebe nada do que eu escrevo???!!!!

AIIIIIII

E nós que éramos tão amigos...


MZ, aposto que a menina/senhora preza o nosso planeta azul, verde, etc., verdade?

Então não acha bem que se poupe energia (nas suas mais variadas formas), fazendo coincidir a hora de trabalho com o período de sol? Eu sei que é triste chegar a casa depois do trabalho com a noite instalada, mas também é triste sair de casa às escuras....

Diário de Lisboa disse...

esqueci-me de dizer que foi para aqui:

http://lisboadiarioscult.blogspot.com/2010/11/tempos.html

MZ disse...

Diário de Lisboa;
sempre que publicar aqui algo que se ajuste a uma fotografia sua, pode crer que ficarei feliz por partilhar palavras e emoções.
Eu farei o mesmo com o seu consentimento, como já aconteceu com uma fotografia sua (Rio Tejo - Cais do Sodré)no meu post "Neblina".

Muito obrigada
Bjs

MZ disse...

Ai Johnny, o menino já viu como nós somos complicados?
Por acaso este comentário não era para o post "Ilusão"?

:)

Diário de Lisboa disse...

Mz , era para ter começado por aí, por colocar esse post que tanto gostei. Mas gostei tanto deste texto que não resisti.Se não se importar um dia destes coloco o outro.
Bjs e obrigado.

MZ disse...

Sim, claro!

Bjs

Brown Eyes disse...

Deixa-me dizer-te que o johnny tem mesmo um dedo que adivinha. Falando em Portugal quero dizer-te que o que me preocupa é a passividade dos seus habitantes, a sua hipocrisia e egoísmo. Se não fosse isso os governantes não teriam abusado tanto nem continuariam a abusar como fazem. Este país está perdido porque o seu povo continua na plateia a admirar o es+ectaculo, com se dele não fizessem parte. Beijinhos

MZ disse...

Brown Eyes;
sim o Johnny acertou em cheio!



beijinhos