terça-feira, 29 de agosto de 2017

A graça das Andorinhas

Texto e fotografia,Mz



Para terminar Agosto, um adágio de andorinhas onde a velocidade das mesmas se contrariou nesta sequência de passos lentos. Façam silêncio, escolham o andamento musical e apreciem a graciosidade. Uma espécie de ballet clássico, ou contemporâneo; o que lhe quisermos atribuir neste olhar livre.


15 comentários:

Graça Pires disse...

São encantadoras, as andorinhas. E nestas fotografias fazem um dança com coreografia e tudo. Muito belo.
Uma boa semana.
Beijo.

Laura Ferreira disse...

que bonito!

✿ chica disse...

Maravilhoso modo de terminar AGOSTO! Lindas fotos! bjs, chica

luisa disse...

Equilibristas... :)

Estou aqui a pensar como é que falhei tanta coisa bonita que se passou neste blog em agosto... Gostei para lá de tanto das borboletas, da cegonha, do moinho, da lua...

Isabel disse...

Lindíssimas fotos, sob um céu tão fabuloso!

Helena Resende disse...

Tão encantadoras! :)

https://checkinonline.blogspot.pt/

Ricardo Santos disse...

As andorinhas anunciam-se o recomeço da vida em cada ano !
Gosto das Fotos !

Elisabete disse...

São fotos encantadores.
Bjs

Just Fantasy Bijuteria disse...

É bom saber apreciar a graça das andorinhas, e dos outros seres e fenómenos, há uma compreensão que surge com isso! :) Beijinhos

Beatriz disse...

As clássicas andorinhas, onde quer que elas resolva pousar, sempre belas!
Bjs

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Pedro Coimbra disse...

Um post encantador.
Nas palavras e na imagem.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá, excelentes fotos das belas e curiosas andorinhas, as mesmas são difíceis de captar em voo, são curiosas, levam o seu tempo a voar em nosso redor como se tivessem a dançar.
Feliz fim de semana,
AG

mz disse...

Muito obrigada a todos pelos graciosos comentários.
Continuação de bom fim de semana.

Beijinhos

Toninho disse...

Bela sequencia com definição.
Nossas andorinhas sumiram com a vinda dos pardais.
Lembranças delas no adro das igrejas e paredões onde faziam ninhos.
Gostei de recordar.
Abraços.

Agostinho disse...

... num coreografia de ficar a olhar sem tempo marcado.
Belíssimos instantâneos no arame do azul.

Bj.