domingo, 2 de fevereiro de 2014

Máquina de Costura





Nunca gostei de dormir sestas e sabes que vou sempre contrariada. A canseira da brincadeira acaba por vencer. Depois, acordo devagarinho como tu dizes que se devem acordar as crianças. E acordo sem birra. É Verão. O tac-tac corrido ecoa longe e mistura-se ao compasso do meu coração.
- Acordaste-me avó!
Esqueço os chinelos. Corro afogueada arejando os caracóis e fazendo lágrimas de aragem nos meus olhos. Dou-te um beijo a correr e fico ali defronte a ti. Quieta. Quase sempre poisada num só pé e debruçada sobre uma das esquinas da mesa da máquina de costura. Fascina-me o mecanismo da roda e do pedal que gira como se fosse a minha bicicleta de rodinhas. Estou em crer que quero ser engenheira como o pai para ver como acontecem as estradas de pontos na roupa que sabes fazer.

mz


 imagem e texto inspirado neste Blogue

17 comentários:

✿ chica disse...

Lindo cenário para esse desenrolar tão doce, tranquilo como o leve acordar...bjs,chica

João Roque disse...

Em casa de meus pais, havia uma velha "Singer"...

luisa disse...

Muito bem contada... :)

manuela baptista disse...

ainda não fui ver a inspiração,

mas recordo tão bem o ruído da velha Singer e o fascínio que provocavam os tecidos, as linhas e as bainhas e a minha avó a fazer-nos os vestidos das bonecas

um abraço, Mz

Laura Santos disse...

A infância continua em nós através da recordação desses momentos terna novidade que nunca mais se esquecem.
Um texto muito bonito...e acabaste por ser engenheira de estradas, ou de pontes...:-)
xx

Rui Pascoal disse...

Muito gostava eu de dar ao pedal, as agulhas é que não queriam nada comigo...
:)

Carolina Tavares disse...

Assim como na família de João Roque, minha mãe conserva uma velha Singer, que foi de minha avó. Eu mesma já utilizei seus pedais e fiz pequenas costuras.

Lindo texto.

Beijo e uma boa semana.

Mz disse...

Chica, com crianças tem de ser assim, suave e doce...

Bjs

Mz disse...

João,acho que em todas as famílias portuguesas existe pelo menos uma "Singer" ou outra... é um clássico.

Mz disse...

Luísa, :)
Muito obrigada.

Mz disse...

Manuela, na altura era o sonho de todas as crianças.Vestidinhos de bonecas feitas pelas avós,mães...eu também tive esse previlégio.

Agora, não sei se o fascínio da máquina de costura ainda prevalece.

Abç

Mz disse...

Laura,
as pontes da blogosfera são evidentes :)


Bjnhs

Mz disse...

Rui, eu também parti muitas agulhas... a tentação era muita :)

Mz disse...

Carolina, a máquina de costura antiga - de pedal - fazia as delícias das crianças. Acho que foi uma geração "mecânica" com muita fantasia e encanto :)


Bjhs

Marcos Satoru Kawanami disse...

Lembra minha infância.

Lilá(s) disse...

A minha infância não foi preenchida com a presença das avós mas, nela havia uma singer da minha mãe! fui a herdeira da bela máquina que repousa no meu sótão, ainda impecável mas, que devido á existência de uma eléctrica nunca lhe toquei...trato-a como peça de museu.
Bjs

Mz disse...

Eu também tenho uma eléctrica para fazer baínhas simples e muito tortas :) por mais que treine...

Espero ainda vir a herdar pelo menos uma das antigas.

Bjnhs