domingo, 1 de abril de 2012

Caixinha de música...



 Clássica e serena a tua música.
Delicada a caixinha
Onde te escondes,
 Bailarina.
 Ilusória a tua vida
Parada
 No tempo.
Abre a tua caixa,
Bailarina.
Acorda,
Sai e vê.
Destruturação,
Gritos sociais
Povo Inquieto.
E tu
Em pontas,
Rodopias
Leve como sempre.
Rodas, rodas…
Sobre ti mesma.
Nada se passa,
Bailarina.



Original, escrito e publicado...

Mz



(imagem: Pintor e escultor francês, Edgar Degas)

26 comentários:

João Roque disse...

Como eu gostava das antigas caixinhas de música...

Mz disse...

Caixinha de música, o objecto que desta vez me inspirou para um grito social.

Um objecto brinquedo delicado que não era acessível a todas as meninas...

Poder-se-á dizer que a caixinha de música era objecto dos mais abastados, que continuam, hoje, ainda mais abastados.
Acho até que não têm a noção do que realmente se passa, numa sociedade desesperada...

Quem me ler e teve a felicidade de ter uma caixinha de música, não me interprete mal. Esta caixinha é apenas uma figura de estilo.

Bjs

Carolina Tavares disse...

As caixinhas de música são lindas e especiais.

Deixo para ti a Ciranda da Bailarina, uma letra especial cantada por Adriana Calcanhoto.

http://letras.terra.com.br/adriana-calcanhotto/102206/

Beijos

Mz disse...

É verdade, Carolina, são lindas e com uma carga de magia enorme, ainda hoje.

Adriana Calcanhoto é muito apreciada por cá. Tem uma voz e música tranquila muito ao jeito da caixinha de música.

Vou ver.
Obg,
Beijos

✿ chica disse...

Linda e tão doce bailarina que roda, gira, gira a bailar...beijos,linda semana!chica

Mz disse...

Beijos para si também, Chica.
Obrigada!

Sandra disse...

Passando para deixar um carinho e desejar um feliz final de Domingo.
Venho devagar para não me cansar.
Os amigos sempre estão dentro do coração..


Agradecer pela sua presença.
A amizade é um sentimento sublime, puro e verdadeiro, para possuí-la não é preciso ser rico nem pobre, ter posses ou não. A Amizade é um dom, sentimento nobre que une as pessoas, sinal de confiança integra e recíproca, sem ela não há humanidade, sem ela não há o mundo, pois tudo na vida se origina de uma amizade, mas ela exige um item muito importante, ela tem que ser verdadeira, caso contrário, não há amizade.
Carinhosamente,
Sandra

Mariavaicomasoutras disse...

Caixinhas...de onde saem bailarinas,
tocadas com a corda que alguém lhes dá...
viram, giram, rodopiam ...perdem-se na força pela falta de energia!
Bailarinas que funcionam enquanto a corda não rebenta...
Talvez as pilhas chinesas cheguem ao seu interior...
Não tem dor e não respiram...seres inertes geradores de fantasia!
Seres reais que vivem na realidade de um povo em agonia...



Bjo*

Mz disse...

Disse tudo Sandra!
A amizade é de facto um sentimento sublime.

Boa semana.

Mz disse...

Mariavaicomasoutras,
as de corda, funcionam... até partir... é quando lhes salta a tampa de tanta obediência :)))

As outras, as de pilhas chinesas, às vezes trazem defeito... nem sempre funcionam!

Assim é a sociedade.

Pedrasnuas disse...

Essas caixinhas eram maravilhosas e despertavam todo o nosso interesse...:)

Bjs

Mz disse...

Ainda despertam... espero encontrar uma num antiquário, daquelas bem antigas.

Bjs

Eva Gonçalves disse...

Aqui há anos comprei uma numa feira de velharias em formato de piano, também é um guarda-jóias e adoro aquela caixinha de música. Gostava muito de ter uma com uma bailarina antiga, :)Eu como ando muito por essas feiras, e até já vendi em algumas, porque é um hobby meu :) digo-te que às vezes aparecem. Já ando de volta aos blogues! beijinho e boa Páscoa

Rafeiro Perfumado disse...

Essas bailarinas não eram muito inteligentes. Gostavam de brincar às escondidas mas escolhiam sempre o mesmo esconderijo!

Mz disse...

Eva G.

é uma dessas antigas que eu quero... em bom estado, claro!

Bem vinda e boa páscoa!
Bjnhs

Mz disse...

RAfeiro P.
essas bailarinas não eram muito inteligentes.
Gostavam de brincar às escondidas e escolhiam sempre o mesmo esconderijo...

Muito boa, essa!

Luís Coelho disse...

As caixinhas de música era especiais.
O sonho e a magia rodopiavam indiferentes ao tempo e aos sentimentos pessoais.
Um poema bem construído com aquelas características.

manuela baptista disse...

eu tive uma caixinha de música com uma bailarina
linda e alheada de tudo, dançava numa perna só, em pontas

e outra que era um piano pequenino

isto para dizer, que adoro bailarinas patéticas e faço colecção de caixas de música

leve e profundo e bonito o teu poema, Mz!

mas tudo se passa, numa caixa de música

um abraço

Mz disse...

Luis Coelho,
sonho e magia é o que se procura em alguns brinquedos, agora que somos crescidos reconhecemos isso. Colocamos de parte os didáticos.

Mz disse...

Manuela Baptista,
as caixinhas de música são especiais.

Eu tentei ser leve e introduzir algo para reflexão.

Bj

Lilá(s) disse...

Também tive uma, linda que ela era! passava imenso tempo olhando para a bailarina rodopiando, muitas vezes me imaginei também bailarina...
Bjs

Boa Páscoa

Mz disse...

Lilás,
ela hipnotizava-te e dizia-te:

-Tens de ser bailarina... tens de ser bailarina...

Bjs

Brown Eyes disse...

Adoro caixinhas de musica. Abri-las é como deixar sair os seus e torna-los realidade. Beijinhos

Mz disse...

Brown Eyes,
todas as meninas gostam de caixinhas de música e depois quando crescem continuam a gostar...
É como se alguma magia e sonhos ainda estejam ali à mão por momentos. E o mundo faz uma pausa...

Bjnhs

soninha disse...

Bela página! parabéns...
bjs e paz

Mz disse...

Soninha,
obrigada!

Bjs