segunda-feira, 26 de março de 2012

No Mercado...


Porque me fazem falta determinados cheiros, gosto dos mercados ao sábado de manhã. Gosto daquele ir e vir de gente mais madura como as frutas que ali se vendem. Gosto das mulheres que vendem as flores, das que amanham o peixe, das que se desembaraçam com as hortaliças. Gosto do buliço do lado de dentro das bancas. Os homens são toscos e lentos. Ou andam a carregar batatas, ou a fazer os trocos. São a força mais bruta a contrastar com o com chamar das vendedeiras que tem algo de mimoso, como terra fértil.
-A menina, isto...
- A querida, aquilo...
A mãe da minha amiga Mariana tem outra visão. Divorciada há muitos anos, e já de idade avançada, gosta de passear a cesta de palhinha trabalhada debaixo do braço. Assim como quem anda a fazer turismo naquelas hortas expostas ao fim de semana. Diz que o mercado, é um lugar óptimo para se ver rapazes giros com tanto divórcio que há agora. Olho para a minha amiga e a minha amiga olha para mim... e pensamos as duas:
 
- O que mais escondem as mães?




Imagem: Tela de Fernando Botero
Pintor e escultor Colombiano



Original, escrito e publicado...
Mz

24 comentários:

manuela baptista disse...

:)

elas lá sabem, as mães


os mercados têm um fascínio que nenhum super jamais igualou!

e as alfaces são tenras...

um abraço

Mz disse...

Manuela Baptista,
e mulheres são mães...
e nós mulheres,
também...

Outro para si,
o abraço!

João Roque disse...

Gosto dessa atitude da mãe da tua amiga Mariana.

Mz disse...

João Roque,
ela é gira e surpreende-nos sempre!!!

Carolina Tavares disse...

Que lindo texto. Realmente tem sua beleza e riqueza os mercados, nas vidas que estão ali a servir, a trabalhar a comprar, e também nas cores das frutas e dos legumes. Há vida no mercado, por isso é tão bom.

✿ chica disse...

Por aqui tem muitos que vão aos supermercados apenas pra "caçar",rsrs Pena, mas sempre devem encontrar presas, senão não estariam lá a perturbar...beijos,chica

Lilá(s) disse...

Gosto de mercados, têm ainda o dom de metrazer recordações de infância, todos os fins de semana ía ao mercado com a minha mãe, comprava-me sempre um rebuçado, tipo sombrinha revestido com bolacha wafer, que saudades do paladar!
Bjs

ps: vou estar atenta, nunca reparei nos rapazes giros! ando ceguinha?!!!

Mz disse...

Carolina Tavares,
muita vida, cor, cheiro, muitas sensações que passam despercebidas... e como diz a Manuela Baptista, as alfaces são tenrinhas ;)

Mz disse...

Chica,
caçadores de presas no supermercado, boa!

Beijos

Mz disse...

Lilás,
eu também nunca reparei, acho que vou começar a pôr o olho ;)

Bjs

El Matador disse...

tá visto que no mercado é que tá a acção toda.

Mz disse...

El matador,
tá visto!!!

Rafeiro Perfumado disse...

Nunca me passaria pela cabeça que o mercado fosse um local de engate. E sabes dizer qual é a banca mais propícia?

Beijoca!

Mz disse...

Rafeiro perfumado,
tinhas de ser tu a estalar o verniz...

Beijoca também para ti!

VdeAlmeida disse...

Nem se imagina. Mas devem ser coisas jeitosas, a julgar pelo exemplo!

(gostei do quadro. muito da escola de Diego Rivera)

Mz disse...

VdeAlmeida,
não mesmo!

Pedrasnuas disse...

As mães guardam muitos segredos só para elas e quando se desmancham ...aí é que se vê...são mulheres como todas as outras , com desejos, com vontades, com frustrações...etc...de santas nada têm...:)))e ainda bem!!!
Quanto ao texto, gostei muito, durante muitos anos frequentei o mercado...hoje nessa impossibilidade ...vou ao supermercado...:(

Mz disse...

Ainda bem Pedrasnuas!!!
Concordo plenamente.
Nós também somos mães.

Bjs

Eva Gonçalves disse...

As filhas esquecem frequentemente que as mães são também mulheres! O que esconderão mais? Muito mais que imaginas!! Têm uma vida interior, rica, paralela que nós filhas nem sonhamos... são mulheres e está tudo dito. Eu como vou à feira/mercado todas as semanas, acho banal... experimenta ir ao fim do dia, até nos oferecem hortaliça, salsa, e fruta imperfeita!! :) Beijo

Mz disse...

Ao final do dia, aqui manhã...são os restos, Eva!
E aqui não dão nada a ninguém, dão uns forretas.

Bjo

Boboquinha disse...

Um belo texto com uma descrição que praticamente nos coloca dentro do mercado :D

Partilho desse gosto pelos mesmos, embora não os frequente. Gosto de saber que estão lá, que existem, que posso lá ir olhar as bancadas do peixe, escolher o mais fresco, sentir aqueles aromas todos misturados, únicos, maravilhosos.

Desejo que JAMAIS acabem com os mercados. E que estes não se transformem em «mais do mesmo» mascarados de «coisas de antigamente».

Agora ir ao mercado "galar" homens não me parece que seja muito eficaz, não se devem encontrar lá muitos que valham a pena :))))

Talvez uns gays às compras, uns tantos desempregados já nos copos da tasquinha ou um ou outro desses machos que tão bem descreves, algo subservientes perante o «poder» da mulher nesse ambiente, mas também com resquícios do papel dominante do homem como aquele que controla o dinheiro e só faz o trabalho de levantar pesos. Enfim... considerações. :)

Mz disse...

Então Boboquinha... se frequentasses os mercados sabias que hoje estes mesmos, já não são locais de compras exclusivamente ligados à mulher.

A sociedade alterou-se no que respeita ao género feminino e masculino e, os homens de hoje participam cada vez mais as tarefas domésticas...verdade?
Aqui os gays estão à tua consideração;)

E olha que ver rapazes giros, é giro... lava a vista!!!

Tens de vir nosso mercado e olhar os homens que o frequentam como se tivesses setenta e tal anos (tal qual a mãe da minha amiga] e ter un sentido de humor fantástico!!!

Considerações... Boboquinha... considerações... :))))

Brown Eyes disse...

Há tanto tempo que não vou ao mercado. Tenho saudades. Beijinhos

Mz disse...

Brown Eyes,
hoje também não vais;)

1º porque não há mercado à noite e depois porque tiraste a noite para me leres :)))
Obrigada!

Bjnhs