domingo, 15 de janeiro de 2012

Amolador...









Arrasta-se ainda ligeiro com uma bicicleta nas mãos. Sobe a ladeira da estrada e, na ligeireza dos seus vagarosos passos, vai parando conforme o corpo lhe pede. E agora, não me levem a mal que eu não sei o nome do instrumento e a língua portuguesa é traiçoeira… Tira do bolso a gaita e leva-a aos velhos beiços e solta aquele som em jeito de uivo  afinado. É o inconfundível som do amolador. Era quase sempre a chuva que trazia um homem destes à aldeia, devia ser por causa dos guarda-chuvas… Apaga-se este som antigo, deixo o século passado e as memórias de criança. Um homem, estende-lhe um embrulho de pano, lá dentro as facas. Trocam umas palavras. Ajeita-se o artesão à sua máquina de trabalho, roda o esmeril e afia, afia, afia… pára cansado e volta a retomar a pedalada. No fim, o pagamento e novamente o som antigo neste século diferente. Para mim, o arrepiante som do amolador.




Tela:Frank Auerbach aqui



Original escrito e publicado...
Mz

10 comentários:

pinguim disse...

Por vezes ainda o oiço aqui na rua (moro numa zona sossegada de Massamá, e sem polícia à porta...), e já tenho recorrido a ele para afiar umas facas...

Mz disse...

Pinguim,
pois... convém ter uma faca bem afiada ;)

São disse...

Há muitos anos que não vejo nem ouço amoladores.

Bom domingo.

Mz disse...

São,
ouvi-o e vi-o ontem. Todos os anos ele passa por cá 2 a três vezes... e não vivo numa aldeia. Mas na minha aldeia natal, não aparece um amolador à mais de 20 anos!É curioso...

manuela baptista disse...

todas as semanas
ainda passa um na minha rua e os cães uivam

por causa do som da harmónica ou gaita de beiços, acho que é assim que se chama

clientes, é que quase não tem, parece-me um personagem simbólico deste século

um abraço

manuela

Mz disse...

MAnuela Baptista,
é o reflexo do consumismo...

Um guarda chuva estraga-se compra-se outro!
As facas substituem-se quando já não cortam bem!
Etc, etc... a crise irá inverter os hábitos, mas os amoladores serão extintos.

Ab

Mariavaicomasoutras disse...

Tambem conheci esses tempos.
Pena que hoje em dia os amoladores apareçam de todo o lado e nem sequer se fazem anunciar.

Bjo*

Mz disse...

Mariavaicomasoutras,
hahahah... esses são outro tipo de gente!


Bjo*

Lilá(s) disse...

Ainda há bem pouco tempo vi um, corri á janela pois pensava que não já não existiam ...
Bjs

Mz disse...

Lilá(s)
é uma profissão em extinção, isso já é um facto.

Bjs