terça-feira, 25 de maio de 2010

Testemunho



Maio está quase no fim...
Não o poderia deixar partir sem o meu testemunho de mãe.
...

Um dia, descobri que me sobrava tempo.Entrei em pânico.Foi quando tomei consciência de que o meu filho já quase não precisava de mim. O meu mundo quase caiu. Nunca nada me tinha sido tão doloroso até então. Foi a minha primeira crise como mulher e mãe.
O tempo passou. Superei.Saiu de mim, mas não me pertence.
Ninguém nos pertence... apenas e somente este sentimento único de ser MÃE.



Fotografia: Diário de Lisboa





Com carinho
MZ

15 comentários:

Olga disse...

Criamos os filhos para o mundo não para nós. Se disser isto muitas vezes será que vou acreditar? Não quero que eles saiam debaixo da minha asa! Compreendo a tua dor! Beijinhos.

MZ disse...

Preparaste-te para o nascimento deles e festejaste...
Agora, prepara-te para o dia em que eles sairão de casa e volta a festejar.
Não nos pertencem.

(Repete muitas vezes)

beijinhos

Lilá(s) disse...

Como eu te entendo amiga...mas no fundo serão sempre os nossos meninos.
Bjs

Helga disse...

Os meus filhos ainda são pequenos, mas irão crescer sem que eu me aperceba, porém há um deles que a vida nunca me levará para longe, nem mesmo o mês de Maio, que apenas mo arrancou do corpo, mas nunca do meu coração.

Serão sempre os nossos meninos, mesmo aqueles cujo rosto nunca chegámos a conhecer.

Um beijinho :)

Melga disse...

Ser Mãe...lindo, os filhos crescem, depois chegam os netos e o novo ciclo!

Bjo Lindo de Maio*

MZ disse...

Nem poderia ser de outra forma, não é Lilá(s)?

Beijinhos

MZ disse...

Helga,
agora entendo porque o mês de Maio é um mês que te toca pelo positivo e também pelo negativo quando comentaste o meu post: "Diz-me que és vento..."

Emocionei-me com o que deixaste aqui escrito...
É verdade, do coração ninguém arranca nada é nosso!

Beijinhos

MZ disse...

Melguinha, não sabes como fico feliz por te ver aqui.

Sou mãe de um filho único e espero ter netinhos, claro que sim... mas ainda não estou preparada para ser avó.
:)

outro para ti*

Rafeiro Perfumado disse...

As crias têm de voar do ninho, ou em vez de serem filhos arriscavam-se a serem parasitas. ;)

Beijocas!

MZ disse...

Eu sei RAfeirito, mas tu não entendes... não és mãe!!!

:)

Helga disse...

Obrigada MZ. Maio trouxe-me muita alegria. Foi o mês em que casei, o mês em que nasceu o meu segundo filho, curiosamente no mesmo dia em que celebrei o meu 4º aniversário de casamento, mas Maio trouxe-me também muita tristeza. Levou-me um filho que não cheguei a conhecer o rosto, mas o qual não esquecerei nunca e como sabes, recentemente levou-me também o meu querido avô paterno. São as duas faces da vida, que nos dão o mundo com uma mão e nos tiram o poder de o conquistar com a outra.

Um beijinho :)

MZ disse...

Eu li o teu post e como te sentes triste com a partida do teu avô.

A vida é assim... tanto nos castiga como nos premeia.
A alegria e a tristeza fazem parte do equilíbrio do ser humano.
Afinal, Maio também te deu coisas maravilhosas...

Um beijinho e força!

Diário de Lisboa disse...

estou no mesmo drama, a minha filha tem 15 e está a dar á asa.Começou lentamente e lentamente continua,mas está. O drama,que não é drama nenhum é apenas a evolução e a natureza das coisas, o contrario é que seria de estranhar e de preocupar, o drama dizia eu é que não me sinto preparado .Mas se calhar nunca me iria sentir.Nem que isto fosse só aos trinta...Mas como todas as épocas esta fase também tem coisas muito giras e temos que aproveitar ao máximo estar com eles e tentar acompanhar as suas descobertas e as suas dúvidas, embora agora sejamos enchotados com muito mais frequência. Já não são só nossos, temos que os partilhar mais, mas também fico feliz por assim ser.Mas também percebo o rafeiro e chega de lamechice.
Aproveito para voltar a referir que também gosto de gatos pelo que gostei muito dos posts anteriores e também para dizer que uma gata da rua veio ao meu quintal ter gatinhos. Teve três mas um já tem lar.Tenho 2 para dar, pretos com o peito branco a quer for merecedor de confiança.
Beijinhos e bem que se está aqui com esta musiquinha.

Diário de Lisboa disse...

Ah e mais uma vez adorei ver aqui uma fotografia do Diário, obrigado .

MZ disse...

Mas que bela visita!

Diário,
a fotografia, eu já a andava namorar faz tempo...
Depois, quando escrevi este post, lembrei-me logo dela.
Era a ideal por estar entreaberta, por ser branca e a sombra também...

A posição da porta - o estar entreaberta, representa o nosso coração de pais que nunca se fecha para os nossos filhos aconteça o que acontecer...

A cor branca... é que, mesmo que eles cresçam e se tornem adultos, serão sempre as nossas crianças, verdade?

Depois a sombra... a sombra é a parte mais triste de os vermos sair da nossa asa mesmo tendo consciência de que é bom, é saudável e é o suposto ser!

Adorei o seu testemunho de pai.
O Rafeiro é muito forte porque acho que ainda não é pai... cheira-me... :)

Espero que consiga arranjar donos para os seus gatinhos.

beijinhos e boas fotografias!