quinta-feira, 1 de abril de 2010

MEDO

Dentro de mim, caixa de ébano

Arritmias constantes, batidas em cadafalso
O medo é profundo
O meu medo é o meu abismo...
Não me deixes ir sozinha!
O caminho é escuro, prolonga-se sem fim
Excede o maior pavor que possas imaginar...
Não me deixes ir sozinha!
Não há luz
O caminho já não é caminho
É uma viela estreita...
É uma garganta tenebrosa que me sorve
Colam-se-me as solas ao chão
Acorrentam-se-me as botas
Quero andar, mas dissipam-se-me as forças
Não me deixes ir sozinha!
O medo é profundo
Os ciprestes esticam-se
Os muros são altos
A minha sombra alonga-se... qual gigantes ou corcundas
Eu te esconjuro sombra que cobres muros de figuras grotescas
Eu te esconjuro oh céus, quando de veludo negro são tuas vestes
Não me deixes ir sozinha!
O medo é profundo
O meu medo é o meu abismo...



 Para a FÁBRICA DE LETRAS  este Mês de Abril com o tema “ABISMO”



(Imagem:Google)






Com carinho
MZ



38 comentários:

El Matador disse...

Bom texto. O medo às vezes torna-se num abismo intransponível entre a pessoa e a sua vida.

Melga disse...

Mais um texto onde o sentir aflora nos teus dedos como imagem reflexa da tua existência, por tal motivo e sem rodeios aqui fica o meu apoio.
Eu não te deixo ir sozinha!
Que medo profundo é esse?
Que te prende e não te larga…
Quando acordas para a vida e a luz não te encontra?
Eu não te deixo ir sozinha!
Esvoaça a Melga terna,
Saída de uma caverna,
Em redor de um corpo gélido, sedento de luz eterna.
Eu não te deixo ir sozinha!
O abismo é uma miragem,
Que te ofusca a visão,
Quando o teu corpo se fecha ao desejo do coração!
Eu não te deixo ir sozinha!
Sei que teu corpo não me pertence,
Que tens muito pretendente.
Mas o sabor do Amor, está muitas vezes ausente!
Eu não te deixo ir sozinha!
Vou contigo e dou-te luz, fazendo da viela estreita uma frondosa alameda,
Da garganta tenebrosa, uma cascata aveludada e saborosa,
Das botas acorrentadas, umas pantufas de lã.
Eu não te deixo ir sozinha!
Na profundidade do medo.
O teu pensar me seduz e da escuridão faz luz!
O medo é o teu segredo!
O segredo é o teu abismo…
De ter nascido menina e ansiar ser Mulher!

Chica disse...

Lindo abismo que é o medo em teus versos.beijos,chica

Helga disse...

"Não me deixes ir sozinha..."

Só estas palavras arrepiam. Só estas palavras traduzem a dimensão do abismo que é o medo em cada um de nós.

Beijinho :)

Poetic GIRL disse...

O medo é uma das piores formas de abismo. Muito bom! bjs

Sandra disse...

Estou participando. Lhe convido para vim conferir. Interação de amigos te espera.http//sandrarandrade7.blogspot.com.
Ficarei honrada com a sua presença.
Nossos abismos, somente nós poderemos enfrentá-los.
Gostei muito do seu texto.
Carinhosamente,
Sandra

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

O medo nos cega e impede de ver a ponte diante do abismo.
Bela participação, tua escrita é linda.

Beijo

=)

Catsone disse...

MZ, gostei muito deste teu poema, até fiquei assustado, lol
Muito intenso, parabéns!

susana lopes disse...

Como eu te entendo... sempre em luta constante contra este medo que me castra...

Li, doeu...

meldevespas disse...

é o medo ou apenas a angustia do desconhecido?
seja o que for, é sempre bom não ir sózinha
Beijo

Olga disse...

Adorei o teu texto. O medo é um dos nossos maiores abismos, não nos deixa avançar e crescer como pessoas. São tantas as vezes que sentimos medo...

continuando assim... disse...

estamos perto do final... se final houver.
o capítulo 18, é o último capítulo do livro
quem já leu o "Continuando assim...", sabe como termina o livro.
A todos vocês que têm andado por aqui pacientemente , lanço o desafio prometido .
Antes de publicar o último capítulo , gostava que me dissessem como gostariam de terminar esta história de Alice e André.
Podem publicar os "vossos finais" nos comentários ou mandar directamente para o mail
queirozteresam@gmail.com
Irei postar aqui todos os finais possíveis , todos os "vossos finais" :)
Estou quase certa que algum de vós encontra o final perfeito.
está lançado o desafio, para já espero as vossas respostas
um grande beijo a todos !!

Teresa

Rita disse...

Adorei o teu texto... Muitos parabéns pela forma envolvente como escreves!

Beijinhos

Rita

Tulipa disse...

Gostei muito! Parabéns! kisses

johnny disse...

É o abismo de muita gente.

papoila disse...

Uma vez li:
"O Medo é a fé na coisa errada"...
Este medo do fim...é mesmo arrepiante, mas não podemos antecipar o fim, ele virá quando for a hora certa, até lá, vamos ter FÉ na coisa certa:
vamos esperar que a tranquilidade nos encontre e com ela a sabedoria de aceitar sem medo....
beijinhos

MZ disse...

El Matador;
sem sombra de dúvida que quando não se conseguem superar os medos, as vivências tornam-se muito mais pobres. Assim o medo pode dizer-se que se torna num abismo.
obrigada.

MZ disse...

Melga;
com o teu espírito solidário conseguiste um poema muito doce e ternurento... gostei das pantufas de lã.

beijinhos

MZ disse...

Chica;
confesso que por vezes tenho receio de afastar os leitores com palavras assim tão sérias... é que nem todas as pessoas gostam...

muito obrigada
beijinhos

MZ disse...

Helga;
quando era criança, tinha muito medo do escuro, medo das sombras da noite - penso que todas as crianças sentem esse medo... inconscientemente, um a parte deste texto foi inspirado nessa época.
Depois, outras palavras apareceram e levaram-me a dar um outro sentido ao texto.

Obrigada por me leres sempre com tanto carinho,
beijinhos

MZ disse...

Poetic GIRL,
sim.
Quando os nossos medos interferem nas nossas vidas e nos impede de realizarmos sonhos, o MEDO é sem dúvida uma das piores formas de ABISMO.

Obrigada,
beijinhos

MZ disse...

Sandra,
com ajuda consegue-se ultrapassar alguns medos, mas como tudo na vida temos de ser nós a decidir se queremos enfrentar as angústias, as decisões, e tudo o que o MEDO nos impede de realizar.

OBRIGADA
bjo

MZ disse...

Ana Cris. Cattete Quevedo,
o medo cega-nos e paraliza-nos impede-nos de seguir em frente. Sempre foi assim em toda a nossa existência.

Obrigada
Bjo

MZ disse...

Catstone,
a intenção era mesmo essa!
:)

Obrigada
bjo

MZ disse...

Susana Lopes,
o medo sempre fez parte do ser humano, embora muita gente se ache muito destemida e diga que o medo é para os fracos... MENTEM!!!

beijinhos

MZ disse...

MeldeVespas;
ambos... e outros mais...
O desconhecido é sempre uma incógnita que cria uma certa hesitação ou "medo"
Depende de nós escolhermos as palavras certas sem recearmos as reacções dos outros... Depende de nós fazer as escolhas...
Depende de nós enfentarmos os desafios com que nos deparamos no dia a dia...

São tantos os "medos" nas vidas das pessoas que sós ou acompanhadas têm de enfrentar...

beijinhos e obrigada por me leres e comentares.

Lilá(s) disse...

Linda e envolvente maneira que tens de escrever! Gosto muito amiga.
Bjs

MZ disse...

Olga,
é mesmo assim!
O "medo" atrofia-nos...
e são tantos os sonhos que ficam por realizar!
obg... bjo

MZ disse...

Rita e Tulipa,
muito obrigada às duas...
irei visitar-vos assim que possa.

beijos

MZ disse...

johnny,
sem dúvida!

bjo

MZ disse...

Continuando assim...
espero que encontre o seu final "perfeito"
Boa sorte!

MZ disse...

Papoila,
este texto é fictício... o meu medo não será assim tão sinistro, mas o medo faz parte de nós desde que começamos a ter consciÊncia do que nos rodeia.
Não invoco ninguém, sou apenas eu e os meus pensamentos, reflexões e divagações...
Sem dúvida que sempre tive medo... medos diversos, comuns a todas as pessoas normais.
Se "... o medo é a fé na coisa errada..." não sei... só sei que o medo é comum a todos e pode ser real ou psicológico.

Obrigada por comentares este "medo" encomendado e trabalhado para a "Fábrica de Letras"

beijinhos :)

MZ disse...

Lilá(s)
temo que estes últimos textos esteam um pouco pesados e que me tomem por alguém com uma "aura" negativa...
Este tema "Abismo" está um pouco sinistro, mas foi o que me ocorreu no momento e as palavras saíram...
Fico grata pelo seu comentário Lilás, muito mesmo...

obrigada por me ler
bjs

Brown Eyes disse...

MZ que estaríamos a perder se a fábrica não tivesse nascido? Perderíamos o prazer que sentimos quando lemos este teu blog, tão simples mas com tanto poder. Tu sabes seduzir-nos com as palavras. Seja qual for o tema a tua participação tem sempre nota 10. Beijinho e obrigada por teres por aqui passado.

MZ disse...

Brown Eyes,
tenho a certeza que perderia muito se a 'Fábrica' não existisse.
Alguns temas não são fáceis, confesso. A 'Fábrica' enriquece-me não só pelo desafio, mas, por todos os que nela participam. Principalmente por pessoas que aqui entram e deixam sempre uma palavra amiga num texto em desbafo partilhado ou num simples comentário vindo de alguém mesmo que seja anónimo.

Agora, se vocês me faltarem, já não vai ser a mesma coisa...
Eu é que agradeço com todas as letras,
O-B-R-I-G-A-D-A!

beijinhos

Sara disse...

Este teu texto mete medo, não pela forma mas pelo conteudo.

Detesto ter medo. Ele é paralizante e assustador.

Que tenhamos todos forças para o vencer nas várias batalhas que vamos tendo na vida. Bjs

MZ disse...

Sara,
eu prometo que o meu próximo post será algo relaxante, prometo!


bjs

Lala disse...

MZ... que saudades senti eu de ler as tuas letras. Magníficas. Envolventes.
O medo. Tento não lhe dar importância. Quando pressinto que terei medo, lembro-me que de coração, com amor e coragem serei capaz. Sozinha. Sempre capaz.

Um beijinho muito grande. Parabéns por mais uma participação magnífica!!