sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Quebrar o gelo


Com pauzinhos nas mãos guardadas em luvas de um só dedo, tentava furar a água sólida.
Imaginava-a espelho de magia.
Sonhava com coisas que nem eu sabia bem o quê...
Talvez quisesse apenas saber o que estava por trás daquela água espessa,
ou simplesmente brincar...
Só brincar...
O tempo passava devagar e as brincadeiras fora de casa eram a liberdade mais desejada da minha infância.
Insistentemente, bufava e fazia força com vontade de romper a placa transparente sem sucesso...
O rosto de menina, ganhava tons de rosa pintado pelo esforço e pelo frio das manhãs geladas.
Não importava...
Eu queria quebrar o gelo...
Adorava o estalido vítreo!
Adorava aquelas manhãs de Inverno,
não fossem as botas encharcadas arrefecerem-me os pés e as palavras zangadas da minha mãe.

Eu... menina, em momentos de Inverno.
Partilhando o ontem e o agora...
Saudades de estalar o gelo nos buracos da eira que no tiritar gelado da noite deixavam de ter apenas água... preferiam ter cristais...

(Imagem: Google)

Com carinho
Mz

15 comentários:

Maria Otilia Rodrigues disse...

Bom Dia
Continuas a encher-me de sentimentos bons quando te leio.
Obrigada por estes momentos.
Já sabes que estou menos alegre porque não vou poder dar uns murros e pontapés durante uns tempos, por causa da minha clavícula.
Mas não vou desistir.
Kime Kiai Sakura

MZ disse...

Bom dia Tila,
obg pelo carinho... agora é tempo de recuperares a lesão.
Não tarda estás de volta.

Quanto ao resto não te preocupes eu dou por ti!
:)
Beijinho

preocupada disse...

Mataste as saudades de quebrar o gelo????
Lembrei-me agora que também tenho que umas saudades para matar!!!!
Sabes o que vou fazer?
Uma GEMADA com os ovos da tua aldeia!!!nham, nham :)

Brown Eyes disse...

Mais um momento maravilhoso que nos proporcionas. As saudades das brincadeiras de criança, do querer sem pensar nas consequências, do viver livremente correndo, brincando pela natureza faz-nos, por vezes, ficar nostálgicas. Mesmo que quiséssemos repetir não sentiríamos o mesmo, mudámos. A criança tornou-se mulher perdeu a energia, deixou de poder viver só para brincar. Beijinhos

MZ disse...

Preocupada,
(pensava que este já estava desactivado)
sabes bem como eu gosto de recordar momentos de infância e desta vez lembrei-me do gelo... claro que não matei saudades porque sempre que vou à aldeia mesmo que faça muito frio, a água das poças não congela... ou então acordo tarde demais, deve ser isso!

Gulosa :)
beijinhos


Brown Eyes,
eu realmente adoro escrever sobre a minha infância. Umas vezes é por nostalgia... outras vezes nem por isso, é porque são coisas tão boas que decido registar e partilhar aqui na blogosfera.
É bom registarmos as coisas boas, não achas?

beijinhos

Anne Baylor disse...

Maravilha ...
Uma vontade de quebrar o gelo ..
Boa demais..

Beijos.

Lilá(s) disse...

Que saudades eu senti ao ler o teu texto! que saudades de infãncia...adorei ler-te.
Bjs

MZ disse...

Anne B.
será que desse lado do Atlântico também tiveste oportunidade de o fazer alguma vez?

beijos


Lilá(s)
espero ter-te despertado momentos lindos da tua infância...
Bjs

Sara disse...

Escreves tão bem amiga. É sempre um prazer para mim ler os teus textos!

Este é encantador e avivou-me muitas memórias boas que tive... que saudades!

O quebrar o gelo pode ter vários sentidos mas todos eles importantes na descoberta de nós mesmos. Continua... Bjs

MZ disse...

Sara,
quebrar o gelo pode ter outra conotação é verdade... mas este "quebrar o gelo" era mesmo uma das minhas brincadeiras preferidas no Inverno.
Espero ter-te avivado boas recordações.

beijinhos

A.S. disse...

MZ... Fizeste-me recuar até à infância...
Ah!... como me lembro!!!!


Beijos
AL

MZ disse...

A.S.
Em Setembro deixei-lhe um até já...
que alegria em saber que está de volta, Poliedro!

Obg
Bjo

Bea. disse...

Relembrar é maravilhoso, e você faz isso bom bem.
Belo texto :)
Te add, um beijo

Melga disse...

Quebrar o gelo...pois claro! Aquilo que gostavamos de fazer na infância e que agora como adultos necessitamos de fazer quase todos os dias, mesmo no Verão. Ele há gelo muito duro de quebrar...eu que o diga!
Gostei de ler.
Jinho*

AnaMar (pseudónimo) disse...

Que bom recordar a infância em que não sabíamos quem éramos e éramos apenas ...felizes:-)
Quebrar o gelo, chapinhar nas poças de água, escorregar nos corrimões...que bom, MZ.
Beijinho

(Pshiuuuu, ainda hoje gosto de passar nas poças de água:-))