quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Casa das Histórias

Avestruzes Bailarinas - Paula Rego

Não sou o Capuchinho Vermelho nem uso uma capa encarnada. Mas não percorri o caminho directo para casa, perdi-me por um atalho.
Fui lá novamente... à “Casa das Histórias” da Paula Rego.
Desta vez, fui sozinha. Já conhecia as salas e o que iria encontrar exposto. As histórias, as fábulas, as obras literárias, as óperas, as pessoas que a inspiraram e a mensagem que ela consegue transmitir naqueles quadros gigantescos.
Cada obra tem uma história e é assim que se começa a entendê-la e a gostar de olhar para aquelas figuras grotescas e por vezes agressivas ao nosso olhar.
O medo, a solidão, o abandono, estão sempre presentes nas suas obras. Tudo o que é frágil no mundo real, ela torna-as fortes na sua pintura.
A mulher torna-se uma figura de força e por isso as suas formas femininas ganham um contorno grotesco e quase masculino.

Paula Rego não é uma moda... é portuguesa e o seu nome é reconhecido em todo o Mundo.
É considerada neste momento como um(a) dos quatro melhores pintores vivos em Inglaterra onde vive actualmente.


“Ninguém é feio”
(Paula Rego)
Admiro-a!


(Fotografia: Saatchi Gallery)
Com carinho
Mz

4 comentários:

Anne Baylor disse...

Uau..
Ninguém é feio mesmooo!!!!!



beijoS>

Blackberry disse...

Eu ainda não fui lá...
Tenho de colmatar essa falha.
Além disso far-me-á bem a visita à exposição e um passeio por aquelas bandas.
Bjnhos

papoila disse...

MZ,
Eu estou contigo!
Admiro a mulher, a pintora e a OBRA.
Compreendo que nem toda a gente goste e não quero convencer ninguém...
Quer se goste ou não de Paula Rego, acho fundamental fazer-se uma visita guiada e se tiverem tempo e se quiserem ter oportunidade de a conhecer assistam ao vídeo.
No fim, pode ser que fique tudo quase na mesma.
Quem gosta, continua a gostar
Quem não gosta, continuará a não gostar, mas pelo menos deram a oportunidade a si próprios de a entender....
xx

Sara disse...

Olá amiga,

Não sou grande fã da obra de Paula Rego mas admiro a sua força e talento.

A arte, quando bem feita, quer se goste ou não, tem sempre mérito e trás sempre algo positivo aos olhos de quem vê.

Ainda não lá fui mas gostava. Quem sabe num próximo passeio o faça. Pelo menos a vontade cresceu com este teu post.

Depois, concordo com ela neste aspecto: De facto, ninguém é feio. Todos temos algo de maravilhoso e incrível em nós por descobrir. Basta saber olhar. Bjs