domingo, 9 de agosto de 2009

Se...




Se eu pudesse...
Ai se eu pudesse!
tirar de dentro de mim
o que sou,
o que não sou
ou o que ainda quero ser...
Ser várias
e ser eu própria!
Dividir-me
ou
multiplicar-me...
Matrioshka!!!

Se eu pudesse...
Ai se eu pudesse!
Tirar-me de dentro de mim
e ficar outra,
e outra...
e outra...


Ainda assim, ser eu própria e ser aquela!
Ser de todos os tamanhos
até caber na palma da tua mão...



(foto de: omeudoceolhar)



com carinho
MZ







8 comentários:

papoila disse...

ai se tu pudesses....

Beijinhos

Anne Baylor disse...

nhumm..
Lindo texto..
Anseios por mudanças.. é sempre bom!!!



Vc disse que não está aparecendo sua foto ao seguir os teus blogs preferidos, mas no meu tua foto está lá!
Um beijo enormeeee.

O mar me encanta completamente... disse...

Lindo o teu poema!
Quanto sentimento ele expressa,
com delicadeza, com magia!

Beijinhos

NINO BELLIENY disse...

Gosto do seu modo de escrever.Entrei em seu blog já gostando.Depois,passe em minha casa virtual e deixe suas impressões:ninobellieny.blogspot.com.
Ah,tua trilha sonora ficou supimpa!

AnaMar (pseudónimo) disse...

E tens a certeza que não podes?

Eu posso...
Bjs

Rafeiro Perfumado disse...

Matrioska? A mim cheira-me mais a clonagem com auxílio daquelas tribos redutoras de cabeças! ;)

MZ disse...

Rafeirito...
civilizações perdidas, tribos extintas, redutores de cabeças... nada disso!
Tratasse mesmo de matrioskas...
Aquelas bonequinhas russas todas ocas à excepção da mais pequenina, aquela que cabe na palma da nossa mão. Essa (a única que não é oca) é aquela que tem toda a essência de que é feita.

beijitos

Rafeiro Perfumado disse...

Ok, cebolas, então! Beijocas!