terça-feira, 6 de novembro de 2018

Novembro.



Fechar a porta de casa e ir para lá da última estrada. Deixar o asfalto, pisar o chão de terra, pisar as lamas e atolar o coração nos afetos da chuva e da pouca luz que têm estes dias de novembro. Folhear a floresta e fundir o olhar com a tecnologia - trazer para casa fotografias como ilustrações vivas; brutas e mágicas visões. Beleza e perigo. Belo e feio. Doce e veneno. A vida e a morte. Afinal, assim são também quase todos os contos para crianças e abrem-se-lhes os sonhos e as dúvidas.







14 comentários:

Rejane Tazza disse...

Prosa e foto lindas! beijos, chica

David Gascoigne disse...

Fungi are one of the great discoveries in the forest during a pleasant autumn walk.

Larissa Santos disse...

Muito bom:))

Hoje:- Se soubesses, como brilha o sol em mim.

Bjos
Votos de uma noite feliz.

Pedro Coimbra disse...

O mês do Grande Prémio de Macau que está aí à porta.

Cidália Ferreira disse...

Bonito texto!

O livro da nossa estória
Beijos e um excelente fim de tarde!

Os olhares da Gracinha! disse...

Um texto com sabor a um Outono poético !!! Bj

Ricardo Santos disse...

Muito boa foto !!!

Quase Cinderela disse...

Lindo texto. Muito reflexivo
Gostei da foto
Abraço

AFlores disse...

A beleza da cumplicidade entre a poesia,a fotografia e um olhar atento.
Adorei.
Tudo de bom.

Graça Pires disse...

Lindíssimo texto deste novembro que também me pertence…
Uma boa semana.
Um beijo.

A Casa Madeira disse...

Olá Mz,
Não só para as crianças mas para os grandinhos também.
Lindas palavras e imagem.
Bom final de semana.

Beatriz disse...

Sim, deixar a estrada e pisar no chão sentindo a terra e todos os sentimentos que vem dela....maravilha!!!

Abraço afetuoso!

Bia <º(((<
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Mar Arável disse...

Tudo se move
nos apeadeiros da vida

Ricardo Santos disse...

Obrigado pelas palavras do "meu" mês!
Bonita foto mz!!!