quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Novembro

Texto e fotografia,Mz




Calçadas as botas do campo, esmaga-se um caminho de folhas velhas amolecidas como pão de açorda demolhado e velho. Aqui, já não é bonito o afogueado do outono quando lhe cai a chuva e o enlameado da terra deixa-nos o chão em papa. Novembro carrega o desengraçado da natureza, a melancolia das coisas mortas, e o cheiro amofinado dos bolores e do podre. A beleza tem de vir de um olhar sensível e secreto, onde toda esta realidade se pode converter num encantamento. 





19 comentários:

✿ chica disse...

Com tais fotografias, como não pensar em encantamento? Adorei! beijos, chica

As Mulheres 4estacoes disse...

Gosto de olhares sensíveis, que conseguem encontrar beleza, onde muitos não a percebem.
Achei lindas as fotos, com a claridade incidindo sobre as frutas por entre os galhos, a natureza em transformação.
Que tenha um ótimo mês de novembro.
Sônia

Pedro Coimbra disse...

Com fotos como estas Novembro até fica muito mais interessante.
Bfds

Regine Karpel disse...

Love.

Mar Arável disse...

Belas todas os apeadeiros

Gil António disse...

~Visitando, achei o seu blogue encantador. Pura delicia para o olhar, com bons textos.
Gostei muito do seu blogue, e por isso me atrevo:
.
A deixar o convite a fim de visitar/em o meu blogue, ainda muito pequenino, muito bebé, mas que irá certamente crescer, fazer-se adulto, com a visita e troca de linkes com quem assim o desejar. Deixo o meu agradecimento.
.
https://brincandocomaspalavrass.blogspot.pt/
.
Votos de felicidades e o meu sincero obrigado.

Ricardo Santos disse...

Muito bonitas as tuas fotos de Novembro, o mês em que nasci !!!

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Ah, MZ, esta tua prosa
É mais do que poesia!
Ela é o amor que nos guia
À vida que a alma goza,

Na beleza luminosa
Da natureza, por via
Desse amor que contagia
Todo o ser que a alma esposa.

O teu outono é tão belo
Que nem vejo paralelo
Com aqui, minha primavera

De luz, de flores e festas.
Com teu outono, me emprestas
Tua ternura sincera.

Belíssima prosa poética! Parabéns! Gostei muito. Abraço amigo. Laerte.

Teresa Isabel Silva disse...

Parece ter sido um passeio muito completo!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Laura Ferreira disse...

têm perfume, estas imagens.

luisa disse...

Pois parece-me que aqui encontramos esse olhar secreto... :)

Os olhares da Gracinha! disse...

Olhares espetaculares e um belo texto a acompanhar!!!
Bj
https://mgpl1957.blogspot.pt/

Graça Pires disse...

Novembro. O mês onde as flores nascem onde menos se espera... Sim, só dentro de um olhar sensível se pode descobrir o que há por entre o bafo da terra...
Muito belo, este texto!
Uma boa semana.
Um beijo.

Fá menor disse...

Boa perspectiva de um olhar sensível e perspicaz.

Boa semana!

Bj

mz disse...


Obrigada a todos pelos comentários tão amorosos e tão cheios de palavras boas!

Estas maçãs que já ninguém quer, leva-nos de facto para a
"natureza em transformação",
um quadro "interessante".
Nos vossos "olhares",

Viram também o "encantamento",
o "amor",
o belo,
a "delícia",
a "poesia".

Foi a vossa viagem "sensível"
neste "bafo da terra"

onde também floresce vida e se nasce em "Novembro".

Este "Novembro" é para o Ricardo, http://opactoportugues.blogspot.pt/

que é o seu mês de aniversário. :)


Um grande abraço a todos!
mz


Agostinho disse...

Entretanto, a esclarecedora viagem da maçã fez-se.
Concluo que foi desse jeito que certas coisas dúbias, perdidas nos meandros da cinzenta mente, se iluminaram. Newton viu estrelas. Não foi, MZ?
Bj.
Eu vejo, por aqui, coisas lindas de ver e dizer.
Bj.

mz disse...

Newton viu estrelas e fez-se luz!
:)

As maças e os mistérios da natureza, Agostinho.

Bjs

Otília Rodrigues disse...

A tua escrita e as tuas fotos transformam as maçãs podres em diamantes.
A força das tuas palavras é soberba

mz disse...

Obrigada.