domingo, 23 de agosto de 2015

Sossego e uma pilha de roupa para passar





Os galos calados, nem um pio de pássaro. Todos os bichos nos ninhos, nas tocas e a aldeia meio adormecida. Uma chuva miúda que me dá gosto depois da ardência prolongada do sol e lembro-me dos meus amigos que chegaram ontem de corpos tão escurecidos. Ficam estranhos no regresso das praias, mudam de cor e fica-lhes bem o branco e o sol, não este céu grisalho e que não tarda, choroso. Neste silêncio, vou magicando esta crónica e esvaziando uma pilha de roupa amarrotada para montinhos a guardar nas gavetas. E vai o ferro namoradeiro, soltando suspiros de vapor enquanto o guio no corpo das roupas lavadas. É só uma hora e depois vou ali apanhar amoras.

mz



18 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e até de uma tarefa pra mim tão chata e enfadonha como passar roupas, fazes magia! Lindo! bjs, chica

luisa disse...

Com este texto, quase (enfatizo: quase) apetece passar a ferro. :)

mz disse...

Chica,
em silêncio, ajuda a esvaziar a mente.

Bjs

mz disse...

Luisa,
pois, quase apetece, já é um começo de boa vontade. :)

a costureira triste disse...

Garanto-lhe que é coincidência, quando me sentei para descansar de uma pilha de roupa engomada (!!!), vi que as miúdas das coca-colas andavam por aqui :) entretanto, foram à vida e fizeram muito bem.

Gosto tanto de a ler.

mz disse...

Afinal fazemos todos as mesmas tarefas básicas e com sorte na coincidência da hora :)

Como fazer para comentar o que escreve? Ainda à pouco me aventurei nos símbolos "dê a sua opinião" e "envie mensagem por e-mail" e não me saí nada bem.

Também gosto muito de a ler.

Um abraço

a costureira triste disse...

A verdade é que nunca julguei que alguém quisesse comentar o blog, de tão inócuo ou pueril que me parece. Abrirei a caixa dos comentários.

Um abraço

mz disse...

Ah! Fico a aguardar.
:)

flor disse...

De Cesário, que não teve a sorte de a espreitar a si :)

E a vizinha?
A pobre engomadeira ir-se-á deitar sem ceia?
Vejo-lhe luz no quarto. Inda trabalha. É feia...
Que mundo! Coitadinha!

mz disse...

"Contrariedades" de Cesário Verde

Uma honra.

Miss Smile disse...

Sento-me numa cadeira a vê-la passar a ferro e a ouvi-la a "desamarrotar" o mundo. Gosto tanto. Quando terminar, acompanho-a às amoras, se não se importar, é claro :)

Caty disse...

Adorei!!! Que maneira linda de escrever!

Agostinho disse...

O "ferro namoradeiro" de barriga ao léu, cor e bronze, avança pela noite fora, passando, passando corpos inteiros, até que as pernas se neguem de cansaço.

Gostei, MZ.

mz disse...

Miss Smile,
pode acompanhar-me e teremos amoras aqui para depenicar, prometo!

mz disse...

Caty,

:)

mz disse...

Agostinho,
este ferro é um atrevido!

Graça Sampaio disse...

Textinho lindo, amoroso. Gostei. (Eu até nem me importo de passar a ferro... o tempo de ontem é que esteve triste de mais para um agosto...)

Beijinhos

mz disse...

Agosto tem sempre dias assim. Mas o sol já voltou!

Beijinhos