domingo, 4 de dezembro de 2011

Carícias Indiferentes...


Registos de voz escrita, que largo de mim assim...
Pensamentos em jeito de carícias que queria também que  sentisses comigo. Passam-te ao lado porque não tens tempo. Assim, corro riscos ridículos por me deixares pendurada com os meus registos para ti, indiferentes. Para que escrevo eu afinal... Para que escrevo eu, se preferes   o físico e o palpável, ainda que gostes de mimo e tenhas muito carinho para me dar. Negas. Negas sempre, mas eu sei que preferes muito mais as palavras na hora, penduradas no éter dos sentidos. Preferes o olhar rápido aos saltos dos meus sapatos, o cheiro estendido do meu cabelo, o meu sorriso espontâneo do momento. Adoras as palavras ditas. Historiazitas contadas dos jornais diários a par das vidas dos amigos e família e as nossas... As da nossa vida. É mais fácil falar, contar e ouvir, as vozes. Peço, lê o que escrevo. Lê com tudo o resto. Tudo misturado com o físico, o respeito e o amor. Esforça-te. Não fiques indiferente e arranja tempo para o meu registo, escrita de carícia que tenho para ti.


À partida, todos os registos são cansativos. É trabalho metódico, soam a obrigatoriedade, saem do espontâneo. Exigem reflexão e carecem de tempo. Os do coração, passados para a escrita correm riscos ridículos, porque nem todas as pessoas têm a pachorra de parar para os ler, até mesmo as que nos amam de verdade.





Imagem: Galeria das Obras de:

Para: Fábrica de Letras
Tema - Indiferença


Com carinho
Mz





16 comentários:

✿ chica disse...

Tudo que é escrito ou dito, não merece indiferença...Deve ser lido ou ouvido ...E aqui, sempre ganhamos em te ler!

Um beijo,obrigado pelo carinho pelo niver e nem te preocupa! Todo dia é dia de desejar coisas boas e estamos precisando sempre!!!rs beijos,tudo de bom,chica e a recíproca é verdadeira, viu? Também gosto de ti! chica

Mz disse...

Chica,
tudo merece um pouquinho de atenção.

És uma querida!
Parabéns mais uma vez.
Beijos

pinguim disse...

Como sempre atenta e colaborando com os temas propostos pela"Fábrica de Letras"; e como sempre de uma forma brilhante.
Se nunca fico indiferente ao que escreves, devo confessar que me sinto um bocado indiferente a escrever eu um texto para este tema; indiferente não será a melhor palavra, pois não gosto de escrever sobre um determinado tema, como que por obrigação. Sempre preferi o que me sai espontâneamente, e não "por encomenda"...
Mas isso sou eu,não é o teu caso.

Mz disse...

Pinguim,
escrever sobre algo que não se sente, fica uma mensagem sem alma. Depois, existe sempre a ficção que poderá sempre salvar o tema, é preciso ter muita imaginação e criatividade o que nem sempre resulta. Soa a encomenda que também não é o meu gosto. A imposição da escrita é terrível!
Vamos tentando sempre, algo sairá de acordo...

Os elogios são sempre muito bons, obrigada :)))

Olinda P. Gil © disse...

Está muito bonito e gostei muito de ler :D

Mz disse...

Olinda P.Gil
:D
:)))

Rafeiro Perfumado disse...

Por onde é que ficas pendurada?

Mz disse...

RAfeiro Perfumado,
Ohhhhh isso...
Talvez assim como as palavras penduradas no éter dos sentidos... envolvida pelo "in love"
Ohhhhh tu não entendes nada!!!

Lilá(s) disse...

Eu leio sempre e com muita atenção e ainda deliciada, escreves tão bem!
Bjs

manuela baptista disse...

há quem não aguente registos demasiado intimistas

é perturbador

mas é esse exactamente o desafio da palavra escrita, perturbar

a oralidade é mais descomprometida

gostei do texto Mz!

um abraço

Mz disse...

Lilá(s)
tu entendeste logo o que eu queria dizer, verdade?

Bjs :)

Mz disse...

Manuela Baptista,
concordo plenamente!

Obrigada,
abç

Catsone disse...

Sabes que nem todos têm sensibilidade para absorver tais registos...

PS:É impossível ignorar os saltos dos sapatos de uma mulher :D

Mz disse...

Catsone,
:D

Catarina disse...

Hum... Sabes, em relação às palavras, pior do que não serem lidas só mesmo serem mal interpretadas...
Gostei :)*

Mz disse...

CAtarina,
Oh sim... isso é terrível!
Também concordo.