quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Por segundos



Como num pesadelo, não era eu que estava ali.
Corpos vestidos de kimonos brancos circulavam esbatidos. E eu paralisada.
Algo me prendeu os movimentos. O meu corpo e o meu cérebro não responderam à ordem. Não responderam à voz.Os segundos transformaram-se num tempo infinito
Foi uma viagem ao vazio, ao nada.
Esqueci tudo.
Nas artes marciais a sintonia com o adversário é fundamental. Estava a ser avaliada pelo que já tinha conquistado, o meu adversário estava em exame e por segundos eu estava a deitar tudo a perder.
Em cada exame até ganhar o meu último cinto, a ansiedade dava sempre sinal, a adrenalina subia, e eu fluía naturalmente como num treino normal.
Desta vez não estava em exame. Só estava a ser avaliada pelo cinto já conquistado.Nada demais... não havia razão para isto acontecer.


Eu só tinha de atacar com energia, “kime”
Eu era o “Uke” o meu adversário o “Tori”
Eu só tinha de atacar e dar oportunidade ao meu adversário de se defender e executar as técnicas de contra ataque.
A boca do tori mexia-se em câmara lenta e eu não reconheci as palavras.
Palavras em Japonês que eu conhecia tão bem, básicas...
Mawashi Tsuki
Mae Geri
Mawashi Geri
Mae Osae Uchi
Gyaku Kubi...
e outras técnicas de ataque básicas.


Na vida, mesmo por segundos pode acontecer algo parecido.
Foi uma fracção de segundos. Depois voltei à realidade, voltei ao consciente e as técnicas foram executadas .


Jujitsu no tatami
Força e suavidade...
Dominar e deixar ser dominado
Equilíbrio
Jujitsu ensina-me a não ter medo de cair
Ensina-me a levantar-me quando caio
Ensina-me a estar mais atenta
Ensina-me a ser mais tolerante com os outros
Ensina-me a ser mais sensível ao que me rodeia.


Ninguém gosta de perder, mas mais vale perder um combate do que nunca mais combater.
Até que o meu corpo permita.
Domo Arigato, Sensei!
Oss!


Tradução de palavras em Japonês:
Sensei - mestre de artes marciais
Jujitsu - arte marcial
Kime- atitude
Uke - o que ataca
Tori – o que defende
Oi Tsuki – soco frontal
Mawashi Tsuki – soco circular
Mae Geri – pontapé frontal
Mawashi Geri – pontapé circular
Mae Osae Uchi - empurrão
Gyaku Kubi - gravata
Domo Arigato – muito obrigado
Oss – saudação em sinal de respeito à arte, ao mestre ou parceiro



(imagem pesquisa google)

Com carinho
Mz

14 comentários:

johnny disse...

Portanto, cuidado com ela.

Brown Eyes disse...

Ensina-me a levantar-me quando caio
Ensina-me a estar mais atenta
Ensina-me a ser mais tolerante com os outros
Ensina-me a ser mais sensível ao que me rodeia.
Ensinamentos fundamentais não só para o combate mas para a vida. Beijinhos

MZ disse...

Brown Eyes,
é sem dúvida uma forma de estar na vida...
é o combate interior e o exterior.

bjo

MZ disse...

Johnny,
sou pacífica...

Maria Otilia Rodrigues disse...

Domo Arigato, Otagai, pelo incentivo que me tens dado
Força e suavidade, aquilo que me mais aprendi contigo.
Espero que o meu ombro em breve me deixe ter Kime para dar um Oi Tsukie fazer um Giaku Kubi.
Otagai Ni-Rei.

Helga disse...

Uau! Mulher Uke com Kime! O equilíbrio perfeito!

Oss MZ

Melga disse...

Compreendo o teu gosto pelo mar, típico de quem gosta de artes marciais, o saber que o que nós sentimos ao agarrar a água é igual a um combate, a sua fragilidade quando nos escapa da palma da mão, por entre os dedos, quando a pisamos e foge dos nossos pés, que nos aconchega e acalma no banho, que nos facilita os movimentos quando dentro dela mas, capaz de destruir tudo á nossa volta com a sua impetuosidade em que nós somos nada...por segundos, em segundos.
Assim se ganha um combate.

Bjo

Lilá(s) disse...

É adrenalina a mais para mim!...
Bjs

MZ disse...

Tila,
que te recomponhas da lesão é fundamental para recomeçares com mais entusiasmo.
beijinhos (:

MZ disse...

Helga,
o equilíbrio perfeito é muito difícil de encontrar.Vamos tentando alcançá-lo através de uma busca constante que nos faça sentir bem física emocional e espiritual. Não importa onde, o importante é estarmos bem.
obrigada,
Bjo

MZ disse...

Melga,
é a força e a suavidade... como no combate da vida no dia a dia.
bjo

MZ disse...

Lilá(s),
um bocadinho de edrenalina, mas aprende-se algo para a vida prática, aprendemos a estar mais atentas a qualquer sinal de possível ataque na rua, aprendemos alguma defesa pessoal. Se infelizmente tivermos de lidar com uma situação de ataque na rua, ou violação, pelo menos conhecemos os pontos vitais que se deve atacar se tivermos essa oportunidade.

Acredita, já fiz de tudo o que é moda em ginásios... mas o jujitsu para além me proporcionar uma preparação física completa, dá-me algo mais...
Tem a meditação... tem as massagens... tem a hora do chá... existe toda uma envolvência e afectividade com os nossos colegas que cria o tal equilíbrio que procuramos...

Pena eu já não ser tão jovem...
beijinhos e obrigada

Sara disse...

amiga, tens uma forma incrível de transmitires sentimentos.

Tudo se reflecte na nossa vida, mesmo aquilo que à partida, não pareça significante. Bjs

MZ disse...

Por isso cada pessoa é única.
bjs