domingo, 7 de maio de 2017

A herança das rosas e um ritual da avó

Texto e fotografia,Mz


As primeiras rosas são sempre para a mãe em dia de aniversário, contava-nos a avó.
Havia anos de Maio em que as roseiras eram tímidas e, quando chegava o dia, a avó apenas colhia botõezinhos do roseiral e fazia um bouquet com aura de criança. Pequenino, tenrinho e inocente, de laçarote de seda estreita que comprava a metro na retrosaria. Outros anos de Maio havia, em que estas meninas se apressavam, saíam da dormência de inverno espevitadas e cheias de pressa, a avó quase rezava para que não se desfolhassem quando fosse o dia de aniversário. Exuberantes e de pétalas abertas perdiam a inocência e transformavam-se num excessivo ramalhete, já sem lacinhos, repousavam os pés em água fresca na jarra mais bonita.

A herança das rosas chegou a mim também e hoje partilho estas do meu roseiral com a promessa de vos deixar outras mais tardias, ainda a formar botão e  que o capricho deste tempo de primavera mais parecendo verão, ainda não  impressionou.




rosas do meu roseiral 





8 comentários:

papoila disse...

AS do teu jardim ainda serão mais lindas, vou esperar por elas!
Bjs

✿ chica disse...

Um ritual lindo e cada rosa mais linda que a outra!ADOREI! abraços, chica

Isabel disse...

Lindas, todas elas!

Os olhares da Gracinha! disse...

Eram as flores preferidas do meu pai!
bj e lindos olhares!!!

Rita Norte disse...

Que lindas, sem dúvida uma bela e perfumada herança!
Beijinho

AvoGi disse...

Mas que lindas!
Kis :=}

Helena Resende disse...

Belo ritual e belas rosas :)

http://checkinonline.blogspot.pt/

© Piedade Araújo Sol disse...

a sabedoria e a ternura da avó
tão belo...tão terno
as rosas?! essas são belíssimas
beijinhos

:)