domingo, 26 de julho de 2015

Nos intervalos, uma fotografia. Verbena.


Verbena do jardim da minha mãe.
As flores e o perfume a fazer lembrar a Condessa de Gouvarinho na obra "Os Maias" de Eça de Queiróz.

"(…e em torno dela errava, no calor do gás e da enchente, um aroma exagerado de verbena. Estava de preto, com uma gargantilha de rendas negras, à Valois, afogando-lhe o pescoço onde pousavam duas rosas escarlates. E toda a sua pessoa tinha um arzinho de provocação e de ataque.)" 


(fotografia:mz)

10 comentários:

luisa disse...

Aspiro essa fotografia e todo o aroma que dela emana. :)

Carmem Grinheiro disse...

Como é bom correr ao jardim e pegar umas florinhas bonitas para dar vida a um canto.
E acompanhá-las por Eça de Queirós dá-lhe outra cor ;)

bj amg

✿ chica disse...

Que linda e tão inspiradora foto! bjs praianos,chica

mz disse...

Luisa, é um gosto! :)
Bjnhs e boa semana.

mz disse...

Carmem, o Eça é fantástico na descrição das suas personagens. E o resultado é este; leituras para a vida.

mz disse...

Obrigada Chica,
bjs

Miss Smile disse...

Ainda estou inebriada com a beleza singela da verbena e com o seu odor, para mim, nada exagerado :)

mz disse...

A flor, tem um perfume suavíssimo e viciante. A Gouvarinho, possivelmente tomava banho em frascos de verbena :)

Pedrasnuas disse...

Gostei do adorno...Verbena do jardim da tua mãe!... da referência à grande obra de Eça " Os Maias" ___ De repente senti saudade e apetecia-me voltar a ler.... fica adiado!

Grata pela apreciação nos meus ensaios, foi uma completa surpresa!
És sempre tão sucinta e comedida nos teus comentários...:)

Bjinhos

mz disse...

PN
eu não me canso de o ler. Não fazia ideia de que era comedida nos meus comentários :)

Bjnhs