segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Serenatas...


Um dia perguntei-lhe o que mais a marcou nos Verões da sua juventude.

Então...
Aconchega-se no sofá e, muito calmamente, passa uma mão engelhada pelo cabelo de cinza. Os seus olhos azuis parecem rir de contentamento...
Abre-se a estrada do tempo e já não são só os olhos que parecem rir. Sem eu contar, dos seus lábios pouco firmes, uma gargalhada bem sonora e contagiante, faz-me rir também. Leva uma mão ao peito como que para acalmar a satisfação e inicia assim as suas memórias de verões já um bocadinho antigas.

Fala-me de um luar com cheiro a flor de laranjeira, das noites quentes, dos acordes de viola, de cantigas e de vozes em serenata.
Sim... as serenatas!
O acordar único em noites de Verão, foram prendas que nunca mais esqueceu. O silêncio amplificava o som e, as vozes dos rapazes, mesmo que desafinadas, soavam mágicas naquelas capas de luar.
Deixava-se abandonar na cadência e repetia baixinho todas as cantigas que se iam soltando.
Voltava-se a fazer silêncio.
Depois, ao outro dia pela manhã, de rosto corado e olhos baixos, dava os bons dias aos pais como se nada tivesse acontecido. E na rua, os mais velhos falavam da noite como se lhes tivessem sido dedicadas as serenatas.

Recomendo aos apaixonados, diz-me ela!


imagem: google


com carinho
Mz

12 comentários:

Chica disse...

Doces serenatas aquelas...abraços,chica e linda semana

Brown Eyes disse...

Serenatas, belos tempos! Já não se usa pois não? Como antigamente tudo era mais simples e nos fazia mais felizes. As pessoas parecia que não tinham nada mas tinham tudo para se sentirem felizes. Hoje que têm mundos e fundos, não têm nada, nada que as satisfaça, que lhes faça brilhar os olhos. Beijinhos

Carolina Tavares disse...

Já tive este prazer, é maravilhoso, lembro-me de algumas canções que ouvi também.
Mas também já fiz serenata... isto quando participei de um coral e saimos a rua a cantar para pessoas que estavam acamadas na época de Natal, muitos chegavam a janela e agradeciam.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Relembrar momentos que nos deixam o coração a sorrir é maravilhoso. Como belo este descrever de emoções.
Um beijo

johnny disse...

Afinal... seriam só estudantes universitários.

Lilá(s) disse...

Há dias assisti a uma serenata de Coimbra, era uma noite de Verão e havia luar, lindo! só que a serenata era para mim e mais cerca de 60 pessoas...
Bjs

MZ disse...

*Chica,
doces e românticas...
Obg





*Brown Eyes,
agora levam as meninas aos concertos, é mais
cool! :)

beijinhos



*CArolina Tavares
também conheço a maravilhosa sensação de uma
senerata numa noite de luar. A sensação é
mágica!

*

MZ disse...

*AnaMar,
temos de vestir as emoções dos outros para as
podermos descrever o mais perto da realidade.
Espero conseguir fazê-lo para poder criar a
magia de tyambém vos fazer sorrir os corações.

Ainda bem que apareceste, já estou com
já estou com saudades da tua poesia...
Vou espreitar-te.

Bj

MZ disse...

*jonnhy,

Aqui as "capas de luar" é uma metáfora que eu apliquei para dar um ar romântico à noite :)
Pode levar à tua conclusão, sim senhor!



*Lilá(s)
as serenatas de Coimbra são um arrepio...
(no bom sentido):)

Bj

Rafeiro Perfumado disse...

A mim o que mais me marcou na juventude foi uma vez que me espalhei de bicicleta, guardo a marca no joelho ainda hoje!

MZ disse...

Rafeiro,
o teu lado romântico é sempre sempre tão trágico e tão lamechas?

:)

Anga Mazle disse...

Deliciosa crônica, MZ. Também a mim chamou atenção a bela expressão "capas de luar".

Gostei do seu espaço. Voltarei.

Bjs